Páginas

O Primeiro Confronto


Cidadão_Alheio: Pelo que vale a pena lutar?
Anônimo_Incógnito: Pelo bem, sempre.
Cidadão_Alheio: Mas aí é que está: eu não vejo ninguém assumindo a autoria do mal.
Anônimo_Incógnito: ...
Cidadão_Alheio: Em toda causa em debate, as razões de cada lado não parecem se diferir, cada uma pretendendo ser mais nobre que a outra... Como assumir uma posição diante disso?
Anônimo_Incógnito: Sempre há um oprimido e um opressor.
Cidadão_Alheio: Mesmo quando não há opressão?
Anônimo_Incógnito: Opressão é mal não declarado, disfarçado, entre moral e bons costumes até o nome de deus em vão. A desigualdade se tornou natural e deixou de ser posta em questão.
Cidadão_Alheio: Coisa complicada...
Anônimo_Incógnito: Facilitar é que não pode.
Cidadão_Alheio: Nunca facilitei pra ninguém.
Anônimo_Incógnito: É preciso algum esforço... Pra ir além dos muros, dos valores com os quais crescemos como certos, mas que seguem reforçando e reproduzindo a opressão além de nossos limitados horizontes.
Cidadão_Alheio: Ah!, isso não se aplica a mim.
Anônimo_Incógnito: ?
Cidadão_Alheio: De modo geral, nunca senti essa opressão ao redor dos valores com os quais cresci.
Anônimo_Incógnito: De modo geral, quando não sentimos a opressão em meio a tanta miséria, o mais provável é que sejamos nós o opressor...


P.S.: O primeiro confronto é sempre consigo mesmo.